quinta-feira, 5 de novembro de 2015

Animais em Fúria : Bichos Escrotos (parte 1)


Aranhas, ratos, sapos, baratas, escorpiões, minhocas, mosquitos, vespas, abelhas, carrapatos: Pequenos, numerosos e de aparência agressiva e monstruosa!
O homem nunca aceitou bem a sua eterna convivência com estas coisinhas que voam, correm, rastejam ou pulam pelos quintais; atrás dos móveis, em cima de nossas camas, em baixo de nossos pés ou por cima de nossas cabeças!
O cinema não ficou indiferente a esta aversão primitiva e se encarregou de transformar insetos, anelídeos, aracnídeos, roedores e outros bichos em vilões ferozes, descontrolados, manipulados pela ciência, agigantados, deformados por radiação ou simplesmente em missão de vingança em nome da mãe natureza!
Na aventura "The Naked Jungle" (Selva Nua, 1954) de Byron Haskin, milhões de vorazes Formigas das selvas da América do Sul, devoram tudo o que encontram, principalmente plantações e... colonos!




 Alguns meses mais tarde, uma versão agigantada deste problema, faria sucesso nas telas e criaria um novo sub-gênero. "Them!" (O Mundo em Perigo, 1954) de Gordon Douglas, mostrava Formigas, infladas no tamanho de um ônibus, pela radiação atômica, no deserto do Novo México.




Um clássico da Sci-Fi e terror, que iniciou o ciclo conhecido como "Big Bug Boom", que se estendeu de 1954 a 1960.



Se formigas avantajadas não possuem boa aparência, o que dizer de uma enorme Aranha peluda? "Tarantula" (Tarântula, 1955) de Jack Arnold, era o resultado de experimentos de um cientista bem intencionado (uma raridade no gênero) com um alimento de crescimento. A criatura repelente causava muita destruição, até ser incinerada por bombas lançadas pelo jovem e desconhecido (na época...) Clint Eastwood!





Roger Corman contra-atacou com Caranguejos gigantes e inteligentes criados pelos efeitos da Bomba-H em uma ilha do Pacífico em "Attack of the Crab Monsters" (Ilha do Pavor, 1956) de Roger Corman com Richard Garland e Pamela Duncan, além de um elenco de extras que serve de alimento para os bichos.

 "The Black Scorpion" (O Escorpião Negro, 1957) de Edward Ludwig, que contava com os ótimos efeitos em stop-motion do mestre Willis O'Brien (King Kong, 1933). Além de uma família de Escorpiões enormes, também apareciam uma Aranha vitaminada e um estranho Verme com garras gigante.






Já os efeitos especiais de "Beginning of the End" (O Início do Fim, 1957) de Bert I. Gordon, podem ser classificados como risíveis, já que para mostrar um enxame de Grilos gigantes, o jeito foi filmar os pequenos insetos verdes em close, sobre fotografias da cidade de Chicago!


Um terremoto no Ártico, libera nada mais, nada menos, do que um Louva-a-Deus do tamanho de um avião, e que provoca o caos e mortes em "Deadly Mantis" (Fúria de Uma Região Perdida, 1957) de Nathan Juran.




"Monster From Green Hell" (1958) de Kenneth G. Crane, tinha Vespas agigantadas por raios cósmicos nas selvas da África (e de brinde uma cobra gigante!) e "The Strange World of Planet X" (Cosmic Monsters/O Monstro Cósmico, 1958) de Gilbert Gunn, vários insetos gigantes e radioativos de outra dimensão, liberados por uma fenda na Ionosfera causada por um cientista maluco. Uma estranha alienígena boazinha salva a terra...






Bert I.Gordon fez a sua versão de "Tarântula" com "Earth Vs.the Spider" (A Aranha Negra, 1958), onde uma aranha gigante é descoberta em uma caverna por estudantes. Morta, é posta em exposição em um ginásio escolar e revive causando morte e destruição! Diversão, rock'roll e efeitos a lá "Mr. BIG"...






Cansados de insetos e aracnídeos, uns americanos do Texas (sem um dólar no bolso), investiram em ferozes Musaranhos (ratos selvagens) do tamanho de cães. Na verdade cães de verdade, disfarçados e com dentes enormes no trash "The Killer Shrews" (1959), de Ray Kellogg.




Insetos gigantes e outros bichos asquerosos, apareceram em "Parasmani" (1963), uma ficção/fantasia/musical da Índia!


As inocentes fabricantes de mel, foram transformadas em vilãs pela primeira vez, pela produtora Amicus em "The Deadly Beens" ( A Picada Mortal, 1967) de Freddie Francis. Uma pequena vila do interior da Inglaterra é atacada por um feroz enxame de Abelhas assassinas...




Os japoneses radicalizaram e imaginaram um apocalipse ecológico, onde milhões de insetos de todos os tipos atacam e destroem os seres humanos em "Konchu Daisenso" (Genocide: War of the Insects, 1968) de Kazui Nihonmatsu. 
Elogiados efeitos especiais utilizando macro-fotografia.






Nenhum comentário:

Postar um comentário